quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Bíblia: fato ou ficção - Dr. Rodrigo Silva

7 comentários:

O Sousa da Ponte disse...

Ele está a falar a sério ou é um ateu a brincar com a religião ?

O Sousa da Ponte disse...

Acho um bocado baixaria brincar assim com a religião.

Eu nem sou cristão mas respeito as crenças de cada um. Blogs como este estão claramente a brincar com pessoas que tem convicções religiosas. Não que seja contra a liberdade de expressão mas parece-me que é abusar da fé de cada um.

Você, como eu, não acredita. Tudo bem.

Não precisa é de publicar estas matérias só para os crentes serem motivo de galhofa.

O cara do vídeo tem alguma piada mas lembre-se que está a ofender, gratuitamente, pessoas para quem Cristo, a ressurreição e etc são verdades de fé.

Podemos contestar os disparates do criacionismo da terra jovem e similares só quando tentam ser ensinadas como verdades cientificas em escolas.

Gozar assim com as pessoas parece-me demasiado.

Elyson Scafati disse...

André, o tronco linguistico do hebraico já existia desde o oitavo milênio a.C. quando as pessoas começaram a exercer a agricultura e a domesticar animais.

No terceiro milênio a.C., línguas cananitas como o aramaico já eram faladas, ao lado do idioma acadiano.

A primeira evidência escrita do hebraico, o calendário de Gezer, data do século X a.C., os tempos dos reinados dos reis Davi e Salomão.

Numerosas tabuletas mais antigas foram encontradas na região de Gezer, com alfabetos similares em outras línguas semíticas, por exemplo o proto-sinaítico, cujo alfabeto parece ser mais antigo que os hieróglifos egipcios.

O antepassado do hebraico é o idioma cananeu, sendo o primeiro a usar um alfabeto semítico distinto do egípcio.

O escrito mais famoso originalmente em hebraico é o Tanakh, base das Escrituras Sagradas cujas cópias existentes mais antigas foram encontradas entre os manuscritos do Mar Morto, escritos entre o século II a.C. e o século I d.C..

É possível que documentos anteriores já existissem, uma vez que o templo de Salomão já tinha sido erguido antes do cativeiro.
Construções são sinal de que o povo se sedentarizou e que há tarefas divididas entre as pessoas e uma delas e compilar tradição oral para textos.

Tal postura é bem claro na civilização egipcia, grega, maia, chinesa, japonesa, indiana, romana, celtas e germânicas e, na região, nas sumerianas e acadianas.

Assim, não é de se surpreender que o adorno encontrado em Hinon tenha inscrições em hebraico. Isso não leva a concluir que o pentateuco, ou o que o originou, tenha sido escrito à época de Moises.

É bem provável que essa tradição oral tenha sido compilada por volta da época do primeiro templo ou um pouco antes, quando o povo já havia se sedentarizado e, podemos dizer as primeiras cidades hebraicas tenham sido erigidas.

Mas é certo que durante o cativeiro essa tradição oral e parte compilada anteriormente tenha sido reformulada, com elemntos míticos da crença babilônica (dilúvio) e posteriormente da persa (messias, sendo que influências egipcias (boa parte do que há no levítico e nos 10 mandamentos) e cananita (mito de Adão e Eva, destruição de Sodoma, os nomes de deus) tenham sido mantidos nas escrituras.

Elyson Scafati disse...

Pode ser que ao escreverem o pentateuco, os antigos escribas descartaram os documentos anteriores, uma vez que a coisa já estava devidamente acertada.

Quando temos muitos textos falando de uma religião ou de normas de condurta, muitas vezes eles se contradizem.

Mas normas isso não é tão ruim, mas para uma religião é, pois dá margem a interpretações diversas e assim a possíveis discid~encias, o que era a última coisa que os lideres e sacerdotes hebreus queriam. Vide o concílio de Nicéia e a compilação da bíblia; quantos evangelhos se tornaram apócrifos e quanta gente pereceu por conta disso.

Sobre as promessas de Jesus, vale assistir a descinstrução do mito de Jesus:

http://www.youtube.com/watch?v=i2aAStluHR8

Quanto às definiçções do que é certo ou errado, toda e qualquer sociedade as constrói,independentemente de serem ou não cristãs.

Como já tratamos, verdades absolutas existem, dentro de cada um dos sistemas construídos por suas respectivas sociedades.

As leis dos homens existem para punir as transgressões que fazemos. Não basta ter medo de um ser metafísico. Temos leis que servem para regrar nossa vida em sociedade.

Teocracias levam aos absurdos que ocorrem no Oriente Médio, onde é crime punido com a morte ou castigos físicos vc falar contra o Islã e mesmo ter uma outra crença.

Vide a época de caça as bruxas quando o mundo vivia sob a sombra de uma teocracia. Isso ocorreu mesmo nos EUA em Salém. Nada disso era visto como crime (para mim isso é assassinato e violação de direito fundamental).

Por essa razão o racionalismo e suas leis, embora não sejam perfeitos, servem de parâmetyro para as sociedades se guiarem.

Crimes como as violações que ocorrem nas teocracias são puníveis, assim como crimes comuns.

Elyson Scafati disse...

Assim, vejo a comparação de Rodrigo, quando os EUA viviam sob uma teocracia puritana com os EUA racionalista como uma falácia non sequitur.

As consequências da criminalidade não são causa da descrença em deuses, mas de ausência de Estado (miséria, descaso, falta de educação, desemprego, fome, ausência de saúde, saneamento) ou de doenças mentais (psicopatia).

Bom, como sempre, voltamos aos cientistas e filósofos do passado:

Se eles discordassem das escrituras, simplesmente morreriam, pois viviam numa época em que a igreja dominava. Veja o que se passou com Galileu ao descobris que havia astros que não giravam em torno da Terra mas de Jupiter e com Bruno ao cogitar sobre vida extraterrestre.

Pasteur e Braun aqui é são exceções, sendo que qq pessoa é livre para ter sua crença.

Já nazismo não tinha nada de racional. Era uma ideologia que corria atrás de misticismos como Vril e runas.

Se vc for na ìndia vc verá pessoas falando isso dos Vedas, no Japão do Kogiki, no Tibet do evangelho de Buda, na China do Tao te king, maias fanado do Popohl Vuh, indios americanos, esquimós, aborígenes e africanos de suas lendas e deuses, celtas e germânicos de seus deuses, gregos, egipcios e romanos de seus contos divinos, islâmicos do Corão e zoroastristas do Zend avesta.

No mais, o s argumentos usados por Rodrigo ao fazer mil citações de personalidades, isso se chama argumento da autoridade. Se uma pessoa se converte ou se desconverte de uma crença isso é algo pessoal.

É obvio que na bíblia assim como nos livros que citei há historicismo e eles batem com a realidade Ex. a cidade de Krishna). Mas isso não torna os mitos realidade.

Elyson Scafati disse...

Eis um pouco da história de Krishna:

http://namastesintra.blogspot.com.br/2009/05/dwaraka-cidade-de-ouro-de-krishna.html

e a cidade de Dwaraka

http://www.vina.cc/stories/GENERAL/2005/4/dwaraka.tsunami.html


Mas o fato da cidade existir não assegura que Krishna fosse um deus ou que tenha existido e mesmo realizado feitos milagrosos se fosse um homem.

Eis o Kojiki

http://pt.wikipedia.org/wiki/Kojiki


e o popuhl vuh

http://pt.wikipedia.org/wiki/Popol_vuh


o Zend Avesta

http://pt.wikipedia.org/wiki/Avesta

o Bagavadguitá

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bhagavad_gita


Mahabharata

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mahab%C3%A1rata

Ramayana

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ramayana

Tao Te King

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tao_Te_Ching

o I ching

http://pt.wikipedia.org/wiki/I_ching


o Zohar

http://pt.wikipedia.org/wiki/Zohar

a Cabala

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cabala

o sefer yetzirah

http://en.wikipedia.org/wiki/Sefer_Yetzirah
e o Corão

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cor%C3%A3o


Assim, André, temos narrativas idênticas à bíblia. Misturam historicismo com mito.

Ou seja o que confere à bíblia um caráter de verdade e a esses livros não ou vice-versa???

Quem estaria na escuridão? quem segue a bíblia, quem segue estes livros ou quem não segue nada ou quem segue tudo?

Pois é André, o fundamentalismo não vê a diversidade de culturas e de ensinamentos que existe ao seu redor...

Acho que isto sim é estar na escuridão.

Elyson Scafati disse...

e aqui

entenda o candomblé

http://www.orixas.com.br/

a umbanda

http://www.girasdeumbanda.com.br/2010/

e o espiritismo

http://www.oespiritismo.com.br/

http://www.febnet.org.br/

André, dispa-se de seus preconceitos e comece a ver o mundo sob uma ótica mais diversificadora.

Sua religião e a bíblia não são a única verdade, nem o que é mais certo ou mais errado. É apenas um pedaço da colcha de retalhos que é a cultura do planeta Terra.


Grande abraço e reflita mais.


Related Posts with Thumbnails
Related Posts with Thumbnails
BlogBlogs.Com.Br