sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Creio em Ti, Senhor! - Leonardo Gonçalves

"Há pessoas que acreditam que a ciência e a razão não precisam de um Deus para a vida explicar. Mas em toda a natureza vejo o toque de Suas mãos!"

Assista a este belo e reflexivo vídeo clip, na voz do talentoso cantor Leonardo Gonçalves.

Acordo Brasil-Vaticano

Bancada evangélica acusa governo brasileiro de privilegiar igreja e ensino do catolicismo em proposta pronta para votação. CNBB diz que críticas são descabidas e pede análise isenta de deputados

Rodolfo Torres

O reconhecimento de um acordo do Brasil com o Vaticano está embalando calorosa discussão entre parlamentares evangélicos e a base governista na Câmara. O documento institui o Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil e está pronto para ser analisado em plenário em caráter de urgência. A proposta sofre forte resistência de deputados evangélicos, que veem nela a concessão de privilégios do governo brasileiro à Santa Sé e articulam mudanças na matéria.

Um dos pontos questionados é o primeiro parágrafo do Artigo 11, que institui o ensino religioso facultativo nas escolas públicas de ensino fundamental. “O ensino religioso, católico e de outras confissões religiosas, de matrícula facultativa, constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, em conformidade com a Constituição e as outras leis vigentes, sem qualquer forma de discriminação”, afirma o artigo.

Outro ponto polêmico, na avaliação dos evangélicos, é o primeiro parágrafo do Artigo 18, que abre caminho para que complementos no documento possam ser feitos “entre as altas partes contratantes”. “Órgãos do governo brasileiro, no âmbito de suas respectivas competências e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, devidamente autorizada pela Santa Sé, poderão celebrar convênio sobre matérias específicas, para implementação do presente acordo.”

Para o deputado João Campos (PSDB-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica, o décimo primeiro artigo é uma forma de privilegiar a Igreja Católica na disseminação de conteúdo religioso a estudantes. O outro artigo, complementa Campos, representa a exclusão do Congresso de qualquer posicionamento sobre alterações futuras nas relações entre Brasil e Vaticano.

O emprego da expressão "católico e de outras confissões religiosas" também é criticado pelo Ministério da Educação, que ressalta que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), de 1996, veda a promoção de uma religião e não menciona nenhuma fé específica. Na avaliação da Coordenadoria de Ensino Fundamental do MEC, o termo pode abrir espaço para discriminação na rede pública de ensino.

“O acordo fere dois princípios constitucionais: o da laicidade [separação entre Estado e Igreja] e o da isonomia”, afirma o tucano, ao informar que a bancada evangélica apresentará emendas ao projeto. “O acordo dá uma idéia de aliança [entre os Estados]”, avalia João Campos. O deputado ressalta que qualquer matéria sobre acordos internacionais deve passar pelo crivo do Parlamento. “Se a Casa aprovar, estará renunciado às suas prerrogativas”, argumenta.


Tempestade em copo d’água

Do outro lado, está o grupo de parlamentares que considera o acordo apenas uma mera formalização de procedimentos entre a Santa Sé e o Estado brasileiro. “É uma tempestade num copo d'água. Católico significa universal. A Igreja mantém relações com 180 países e o acordo é o instrumento utilizado”, afirma o deputado Miguel Martini (PHS-MG), católico e membro da renovação carismática.

Martini classifica como “minoria” o grupo de deputados evangélicos contrários à medida. Para o congressista mineiro, o acordo será aprovado facilmente pelo plenário da Câmara, assim que base aliada encerrar a “greve branca” de votações por conta do corte do governo nas emendas parlamentares. “Claro que passa... É uma homologação, e já foi analisada pela advocacia do governo e pelo Itamaraty”, afirma.

O deputado do PHS diz que o acordo entre os Estados “não exclui ninguém” e aconselha os evangélicos a firmarem acordo semelhante com a União. “A República Federativa do Brasil, com fundamento no direito de liberdade religiosa, reconhece à Igreja Católica o direito de desempenhar a sua missão apostólica, garantindo o exercício público de suas atividades, observado o ordenamento jurídico brasileiro”, afirma o Artigo 2º do acordo.

Mais críticas

Texto escrito no último dia 17 de agosto - intitulado “Lula e Bento XVI - Compreenda o acordo”, e publicado no blog da Frente Parlamentar Evangélica - afirma que a intenção do documento é fazer com que a Igreja Católica volte a ser a religião oficial do Brasil. “Por mais que o Vaticano e a CNBB [Conferência Nacional dos Bispos do Brasil] neguem.”

“Há a questão do ensino religioso nas escolas públicas – onde está clara a interferência no futuro de nossa nação, pois a ICAR [Igreja Católica Apostólica Romana no Brasil] era em 1890 cerca de 99,5 % da população confessante, e em 2007 caiu para 73%, estimando-se ao final de 2010 cair para a casa dos 69% da população, e os evangélicos, em 2020 estima-se que chegarão a mais de 65% da população. Onde está presente aqui o INTERESSE PÚBLICO?”, questiona a frente parlamentar evangélica.

Em outra página, a do presidente da frente, está a análise da professora da Universidade de São Paulo (USP) Roseli Fischmann, estudiosa do assunto, que considera o acordo um privilégio indevido para a Igreja Católica.

“Como se trata da única religião com identidade jurídica, que é o Vaticano, a Igreja Católica tem o privilégio sim de assinar um acordo internacional, desses que nenhuma outra tem. E nem deveria ter. No Brasil, Estado e religião não podem se misturar como ocorre com esse estatuto. Não importa se a maioria da população brasileira é católica”, afirma (
leia mais).

A reportagem entrou em contato com a CNBB nessa terça-feira (25), mas não houve retorno de nenhum de seus representantes.

Arcabouço jurídico

Na última quinta-feira (20), o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Geraldo Lyrio Rocha, rebateu as críticas feitas ao texto. “O acordo não é polêmico. Alguns é que fazem polêmica. Ele não fere em nada Constituição brasileira, o princípio do Estado laico, que respeitamos e valorizamos, e não pretende nenhum privilégio para a Igreja Católica. Ele dá um arcabouço jurídico a essa consideração do Estado brasileiro em relação ao reconhecimento da personalidade jurídica da Igreja Católica”, afirmou.

Dom Lyrio disse que uma análise isenta desfaz qualquer restrição ao acordo. “As resistências têm motivações partidárias, religiosas e ideológicas. Mas lendo o acordo de forma isenta, examinando artigo por artigo, os próprios parlamentares vão perceber que em nada o acordo traz prejuízo ao Estado brasileiro”, declarou.
A proposta foi aprovada no último dia 12 pela Comissão de Relações Exteriores da Câmara, por 23 votos a sete. Tramita agora em regime de urgência e pode ser votada a qualquer momento pelo Plenário.

--------------------------------------------------------------------------

Nota: Pouco a pouco o Vaticano vai mostrando todo aquele desrespeito à liberdade de expressão (atuante na Idade Média) daqueles que são contra o ideário católico. A hegemonia do catolicismo romano sempre se mostrou uma verdadeira (des)graça para toda a sociedade, inclusive aos seus próprios fiéis. Certo que introduziu o paganismo e distorceu as verdades bíblicas no cristianismo, induzindo os católicos e outros a erros tais como a guarda do domingo como o Dia Santo do Senhor (em detrimento ao sábado bíblico), a veneração de Maria e outros seres humanos que descansam no pó da terra, e freou o desenvolvimento da ciência durante um bom tempo da História, além de dar recentemente apoio para o evolucionismo. Ou seja, deseducou em vez de educar corretamente seus seguidores e muitos outros mais. Agora o Vaticano volta a querer reger o ensino nos centros educacionais públicos do País... isso não vai prestar.

Pelas profecias bíblicas já sei onde isso vai dar, infelizmente. Vai sobrar apenas para os que guardam os Mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus (Apocalipse 12:17).

Se o Estado é constitucionalmente laico para não vir a favorecer este ou aquele movimento ideológico, seja religioso ou não (o movimento), o Vaticano e os ateus, assim como quaisquer outros, deveriam respeitar essa "regra do jogo" para que haja meios de convivência tolerante entre os diferentes credos. Mas como sempre, jogar limpo não é e nunca foi o forte da "Santa Sé", com eles o negócio é imposição e não proposição. Deus é totalmente contra a imposição, uma vez que Ele nos propõe a vida e a morte, sugerindo que escolhamos a vida, para que venhamos a ter vida plena, paz e felicidade.

O mais trágico disso tudo é que a grande mídia está em silêncio diante desse acordo que está sendo feito por baixo dos panos, pelo Estado e o Vaticano. Leia mais sobre isso por meio dos links abaixo:

O atentado sutil - Alberto Dines - Observatório da Imprensa
Igreja e Estado: Acordo por debaixo dos panos – A.D.
Omissão da mídia sobre o acordo com o Vaticano – Roseli Fischmann
Igreja e Estado: Notícia (convenientemente) ignorada – A.D.
Mídia se cala sobre o acordo do governo com a Santa Sé – Lilia Diniz
Novo round na guerra santa – A.D.
O crucifixo do STF – A.D.
A íntegra do acordo – Ministério das Relações Exteriores

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Comentários sobre: "Não cabe ao Estado a promoção do ateísmo nas escolas públicas"

Leia o comentário do doutorando em História da Ciência e autor do blog tedeísta "Desafiando a Nomenklatura Científica", Enézio Filho, publicado hoje, em resposta (muito bem feita, por sinal, por isso estou republicando aqui) a um comentário que uma defensora do ateísmo e darwinismo fez com relação à matéria "Ensino religioso em escolas públicas pode gerar discriminação, avalia professor" publicado no Jornal da Ciência:

NOTA IMPERTINENTE DESTE BLOGGER EX-ATEU [ENÉZIO]:

O ateísmo é uma religião. Tem crença dogmática: Deus não existe. Tem agenda antropofágica: a destruição dos crentes de subjetividade religiosa. O ateísmo é pregado todos os dias nas salas de aulas de nossas universidades e escolas públicas.

Eu sou contra o privilégio que querem dar à Igreja Católica em detrimento às demais crenças religiosas. Contudo, sob a pretensa defesa da laicidade do Estado, esses neo-ateus querem o privilégio dos espaços culturais somente para eles. Os outros que se danem. Eles precisam aprender que o Estado é laico, mas não é ateu.

O ateísmo é sim promovido diariamente nos espaços públicos. Especialmente nas universidades públicas. Se você é crente de qualquer subjetividade religiosa, denuncie às autoridades esses bullies, oops, Torquemadas pós-modernos, chiques e perfumados a la Dawkins que intimidam e submetem os crentes de subjetividades religiosas ao escárnio diante dos colegas em nome da 'ciência'. Não tenha medo de enfrentá-los em salas de aulas. Eles são covardes quando são confrontados publica e corajosamente e dentro do rigor da lei.

Se você estiver vivendo uma situação assim, me mande um e-mail para lhe indicar como processá-los por danos morais e violação de sua cidadania.

Dura lex sed lex nessa turma!
----------------------------------------------------------------

Nota deste Blog: Concordo com o Enézio em protestar contra qualquer tipo de imposição de qualquer espécie de ideologia. Se o ensino nas escolas públicas não deve ser fundamentado no catolicismo e suas tradições deletérias, o ateísmo por meio das mentiras darwinistas tão pouco deveria ser ensinado (por causa de contraversões descritas pelo Enézio logo acima, dentre outras, que o evolucionismo apresenta); mas sim, uma ciência fundamentada em evidências constatadas na natureza, tais como os sinais de que existe uma Mente criadora por trás dessa natureza, que particularmente chamo de digitais da Criação e atribuo ao Deus Jeová, revelado na Bíblia, esta criação da vida e de tudo mais que há de bom.

Conforme já relatado neste blog, tenho um embate ideológico com alguns professores e colegas na faculdade, algumas vezes. Mas por enquanto não vou seguir a sugestão do Enézio sobre processar os que tentam violar indiretamente meu direito de crer no Deus criador, salvador e mantenedor.

Porém, haja visto o que as profecias bíblicas revelam, a tendência é o mundo se aprofundar mais e mais nos enganos de Satanás, dentre eles o evolucionismo. Certamente a Igreja Católica romana conseguirá a hegemonia nas escolas do Brasil e em outros muitos países, e pior, de mãos dadas com o darwinismo. Isso o Enézio deveria saber mais...

Teoria criacionista das Hidroplacas




A teoria das hidroplacas é a teoria sobre eventos ligados ao Dilúvio universal, descrito na Bíblia, mais aceita pelos criacionistas. Mesmo sendo um vídeo que apresenta a teoria de forma muito resumida, vale a pena ficar por dentro. O Dr. Walter Brown, autor da teoria, enfatiza que essa proposta explica muito bem os porquês da existência das camadas geológicas do tipo plano-paralelas, a disposição dos fósseis nessas camadas litológicas, os eventos climáticos chamados de "eras glaciais" pelos evolucionistas, a deriva continental, as grandes cadeias montanhosas como os Andes, as fossas abissais, dentre muito mais.

Agora, compare isso com o artigo publicado na Nature dias atrás e republicada neste blog, pelo link logo abaixo:

Oceanos podem estar escondidos dentro da Terra, indica estudo. No que isso pode implicar???


Acompanhe outros estudos ligados a este acessando pelos links abaixo:

A verdadeira idade da Terra
(Vídeo de onde foi extraído o estudo sobre as hidroplacas)

Impressões digitais da Criação

Brilhantemente vibrante e livre

Escrito por Matthew J. Lucio - Berrien Springs, EUA

O pensamento humano muitas vezes gira em torno da realidade de que a condição humana precisa ser consertada. Os estóicos procuravam ficar livres do sofrimento humano usando a lógica para quebrar os laços do sofrimento. Confúcio ensinava a necessidade do modo de vida ético. Os budistas procuram a iluminação pessoal como o estado em que nos tornamos imunes ao sofrimento. Os muçulmanos acham que a submissão a Deus é o caminho da salvação. Alguns ateus e outros reconhecem que os seres humanos nascem com tendências destrutivas, mas confessam que há pouco que se possa ser feito em relação a isso.

Os cristãos, contudo, têm uma forma singular de abordar esse dilema: Jesus, que afirmava ser o próprio Deus. Jesus, a Resposta encarnada, veio ao mundo que pensa ter todas as respostas. Ele não ensinou simplesmente um caminho melhor. Ele o viveu. Leia João 1:4. Jesus é a vida em sua fonte. Não do tipo frágil, efêmero e sombrio, mas a vida em seu tipo mais puro: brilhantemente vibrante e livre. E não importa quão éticos ou iluminados desejamos ser, nunca o conseguiremos por nós mesmos. Incontáveis gerações de mulheres e homens bons já provaram isso. Nossa única esperança é Jesus. Crendo nEle nós também, podemos ter a vida que Ele tem.
Mas o que , na verdade, significa crer? Crer num Deus que não podemos ver nem tocar requer, para alguns, demasiada fé. Contudo, o mesmo tanto de fé é requerido para se crer que Deus não existe porque, de toda maneira, não se pode provar nem que Ele existe nem que não existe.

Contudo, nossa crença em Deus é mais do que simplesmente uma probabilidade, ou suposição fantástica. Através dos séculos, milhões de homens e mulheres já desenvolveram um relacionamento real com Jesus, e esse relacionamento os transformou profundamente em agentes de mudança da sociedade. A resultante beleza que emana de uma vida de serviço, sacrifício, e de mais vidas transformadas, é a maior evidência da fé.

Não, a crença em Jesus nunca é fruto do acaso. Está firmemente baseada numa experiência viva com o Deus que é vida - um Deus cujos atos na Bíblia revelam realidades universais, e cuja direção e ensinos faz muito sentido salvador num mundo que está ofegante. E nós também podemos partilhar dessa vida através da fé. Não há nada de truques nem esforços sobre-humanos. Basta simplesmente crer.
--------------------------------------------------------------------
Nota: Este belo artigo foi extraído da Lição da Escola Sabatina da IASD, edição para os jovem -- Página 73 -- julho-setembro de 2009. Me despertou a atenção pela pertinência e decidi publicar neste blog.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Sabatistas terão tratamento especial no vestibular 2010 da UFPR, como de direito

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) [começou] a receber as inscrições para o vestibular 2010 nesta segunda-feira (24). O prazo termina às 16h do dia 30 de setembro.

A taxa de inscrição é de R$ 72. Os candidatos treineiros pagam R$ 70. A isenção poderá ser solicitada entre os dias 14 e 18 de setembro.

O guia do candidato, com as retificações no edital do vestibular e as regras para os pedidos de isenção, está disponível no site www.nc.ufpr.br .

As datas das provas foram alteradas para que os estudantes recebam todo o conteúdo curricular nas aulas, que foram adiadas em razão da gripe transmitida pelo vírus A (H1N1).

Com a mudança, a primeira fase do vestibular da UFPR, prevista inicialmente para 15 de novembro, agora será realizada no dia 29 de novembro. A segunda fase, que aconteceria nos dias 6 e 7 de dezembro, foi transferida para os dias 12 e 13.

Religião

Os adeptos de religiões que consideram os sábados dias sagrados, como os judeus ortodoxos e os adventistas, receberão um atendimento diferenciado. “Os candidatos devem apresentar um requerimento com esse pedido, acompanhado por uma declaração", explica o diretor do Núcleo de Concursos da UFPR, Raul von der Heyde.

O formulário de solicitação de horário especial para realização da prova está disponível no site www.nc.ufpr.br .

Vagas

A UFPR oferece 5.334 vagas em 91 cursos. Este ano, a universidade oferece dois novos cursos: biomedicina, com 30 vagas, sediado em Curitiba; e ciências biológicas com ênfase em gestão ambiental, com 80 vagas, em Palotina.

Mais de um terço das 5.334 vagas (33,9%) são para cursos noturnos e 81,8% são para cursos que iniciam no primeiro semestre do ano que vem.

A principal mudança do próximo vestibular é a utilização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que representará 10% do final da nota do vestibular.
Assim como em anos anteriores, o edital reserva 20% das vagas para candidatos de escolas públicas e outros 20% para candidatos negros. Há ainda uma vaga extra em cada curso para candidatos portadores de deficiência.

Fonte: G1 Notícias

Foto da sede da Universidade Federal do Paraná, estabelecida na capital, Curitiba.

Nota: O tratamento diferenciado será feito porque dias de sábado serão inclusos nas fases do vestibular da federal, onde os vestibulandos sabatistas terão a alternativa de fazer as provas após o pôr-do-sol. Momento em que, segundo a Bíblia, termina um dia e começa outro (Gênesis 1:5).

Criacionismo científico - Adauto Lourenço (Parte 1 de 4)

"A base do criacionismo religioso é a Bíblia, e a base do criacionismo científico é o design inteligente." Adauto Lourenço.

Acrescento dizendo que os dois tipos de criacionismo se complementam, de forma que a Bíblia fornece evidências históricas e o nome do Criador de tudo que há, e o design inteligente dá a evidência científica para se constatar que o Deus da Bíblia existe, tanto é que deixou Suas "digitais" na Sua criação. Porém, o criacionismo da fé vai mais longe, conforme a célebre frase de Agostinho “A fé e a razão caminham juntas, mas a fé vai mais longe.” E Jesus dá o valor disso: "Bem aventurados aqueles que não viram e creram." (João 20:29)

Assista à continuação do estudo clicando aqui.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

A nova geografia das mudanças climáticas

Por Marina Silva, senadora

De Brasília (DF) - Quarta, 19 de agosto de 2009, 08h25 Atualizada às 09h10

O planeta já sofre os efeitos das mudanças climáticas. O que pesquisadores e cientistas tentam prever é de que forma cada região será atingida nos próximos anos.

O jornal americano The New York Times divulgou no início desta semana projeções feitas pelos serviços de defesa americanos mostrando que as mudanças no clima representam grande desafio à segurança dos Estados Unidos, diante da perspectiva de aumento de tempestades e secas, da ocorrência de migração maciça, de pandemias e do racionamento de água, além de outros problemas em território americano e ao redor do mundo.

Mesmo não sendo conclusivas, as previsões não são nada animadoras. O último relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) aponta que até 2080 provavelmente 1.1 a 3.2 bilhões de pessoas padecerão de escassez hídrica e 200 a 600 milhões de fome. A escassez de água, aliás, já é um problema global. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) divulgou nessa semana que mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo carecem de acesso à água potável.

Segundo estimativas conservadoras apresentadas pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) no final do ano passado, as mudanças climáticas devem forçar o deslocamento de cerca de seis milhões de pessoas por ano. Eles estudam medidas para proteger os atingidos por catástrofes naturais. O problema, segundo já disse Wellington Carneiro, oficial de Proteção do Acnur no Brasil, exige alterações no Direito Internacional de Refugiados.

A situação na China - hoje a grande força motriz do desenvolvimento econômico mundial - é emblemática. A questão é saber o custo que o país pagará por sua desatenção às questões ambientais.

Em 2005, o então ministro do Meio Ambiente da China, Pan Yue, chegou a declarar, em entrevista à revista alemã Der Spiegel, que seu país poderá enfrentar um assombroso número de refugiados ambientais. "No futuro, precisaremos transferir 186 milhões de habitantes de 22 províncias e cidades. No entanto, as outras províncias e cidades só são capazes de absorver 33 milhões de pessoas. Isso significa que a China terá mais de 150 milhões de migrantes ecológicos, ou, se vocês preferirem, refugiados ambientais". Na ocasião, Pan Yue disse que a principal causa de tal situação seria a chuva ácida e a poluição dos maiores rios da China, impossibilitando acesso à água potável por um quarto da população.

Um quadro como esse seria de catástrofe, o que ainda não parece ser percebido como tal por inúmeros dirigentes e líderes nacionais e mundiais. Ainda há quem ache que a situação "não é bem assim", pela dificuldade de sair dos padrões habituais de ação ou de inação. De fato, não é fácil deixar o conforto dos cânones aprendidos e encarar que o conhecimento precisa ser urgentemente atualizado diante da crise das crises, tão grave a ponto de mudar a própria geografia, desafiando nossos conceitos de ocupação do espaço físico e humano do planeta e de relação entre humanidade e ambiente natural.

A principal agenda de nosso tempo é a das mudanças climáticas e ela não é algo circunscrito aos ambientalistas ou especialistas. Ao contrário, perpassa todas as áreas e impacta fortemente os modelos de tomada de decisão política. Ignorá-la e pagar pra ver não é sensato. Mais do que isso, é uma fuga para o passado de consequências desastrosas para o futuro.

Fonte: Terra Magazine
------------------------------------------------------------------------

Nota: "Haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais do céu." (Lucas 21:11)

O homem vem violando os três tipos de relacionamentos que Deus estabeleceu quando o criou: Relações homem - Deus, homem - homem e homem - natureza. Com isso, vem sofrendo as consequências tais como a crescente violência, doenças, escassez de água e comida, catástrofes "naturais", desestruturação da família, ateísmo, baixa auto estima, dentre inúmeros outros. A única esperança para este mundo é crer no poder restaurador e salvador de Jesus Cristo, pois como se vê, o homem não consegue ou não quer resolver suas aflições, por causa do pecado.

Apesar de saber que Marina Silva tende a facilitar o ecumenismo e o ECOmenismo por ser membro de um seguimento evangélico apostatado e influente em assuntos socioambientais (principalmente agora que pertence ao Partido Verde - PV - e é pré-candidata à presidência da República) admiro muito esta mulher. Visto que sempre se mostrou competente, sábia e preocupada com o bem-estar tanto da sociedade como da natureza, além de ser criacionista, é claro (rs). São raros os políticos como ela, viu. A Ministra-Chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, só atrapalhou o trabalho dela, quando Marina era Ministra do Meio Ambiente, por causa da ânsia em executar as obras do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento (da economia) - atropelando as leis ambientais (certas vezes) e mesmo sem os estudos completos (muitas vezes) de impactos ambientais das obras, algo extremamente necessário para que se tenha um controle sobre a ação destruidora do homem que se dá em nome do "progresso".

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Oceanos podem estar escondidos dentro da Terra, indica estudo. No que isso pode implicar???

Veja que interessante esta notícia abaixo. Os comentários entre colchetes são meus.

Estudos medindo a eletrocondutividade no interior do planeta indicam que talvez haja imensos oceanos sob a superfície da Terra. A água é um condutor extremamente eficiente de eletricidade. Por isso, cientistas da Oregon State University, nos Estados Unidos, acreditam que altos níveis de condutividade elétrica em partes do manto terrestre - região espessa situada entre a crosta terrestre e o núcleo - poderiam ser um indício da presença de água.

Os pesquisadores criaram o primeiro mapa global tridimensional de condutividade elétrica do manto. Os resultados do estudo foram publicados nesta semana na revista científica Nature.

As áreas de alta condutividade coincidem com zonas de subducção, regiões onde as placas tectônicas - blocos rígidos que compõem a superfície da Terra - entram em contato e uma, geralmente a mais densa, afunda sob a outra em direção ao manto.

Geólogos acreditam que as zonas de subducção sejam mais frias do que outras áreas do manto e, portanto, deveriam apresentar menor condutividade.

"Nosso estudo claramente mostra uma associação próxima entre zonas de subducção e alta condutividade. A explicação mais simples seria (a presença de) água", disse o geólogo Adam Schultz, coautor do estudo.

Mistério geológico [à luz do criacionismo não é um mistério total]

Apesar dos avanços tecnológicos, especialistas não sabem ao certo quanta água existe sob o fundo do mar e quanto dessa água chega ao manto. "Na verdade, não sabemos realmente quanta água existe na Terra", disse um outro especialista envolvido no estudo, o oceanógrafo Gary Egbert. "Existem alguns indícios de que haveria muitas vezes mais água sob o fundo do mar do que em todos os oceanos do mundo combinados." Segundo o pesquisador, o novo estudo pode ajudar a esclarecer essas questões.

A presença de água no interior da Terra teria muitas possíveis implicações. A água interage com minerais de formas diferentes em profundidades diferentes. Pequenas quantidades de água podem mudar as propriedades físicas das rochas, alterar a viscosidade de materiais presentes no manto, auxiliar na formação de colunas de rocha quente e, finalmente, afetar o que acontece na superfície do planeta [leia o livro inspirado por Deus "Patriarcas e Profetas" - Ellen White, no capítulo 8, que fala sobre o pós-dilúvio, e você descobrirá muito sobre isso].

E se a condutividade revelada pelo estudo for mesmo resultado da presença de água, o próximo passo seria explicar como ela chegou lá. "Se a água não estiver sendo empurrada para baixo pelas placas, seria ela primordial? (Estaria) lá embaixo há bilhões de anos?" [pode ser, mas não da forma como a ciência convencional entende], pergunta Schultz.

"E se foi levada para baixo à medida que as placas lentamente afundam, seria isso um indício de que o planeta já foi muito mais cheio de água em tempos longínquos? [leia Gênesis 7:17-20 e entenderá que sim, mas em um tempo não tão longuínquo assim] Essas são questões fascinantes para as quais ainda não temos respostas" [evolucionistas, só se for].

Os cientistas esperam, no futuro, poder dizer quanta água estaria presente no manto, presa entre as rochas. Este estudo teve o apoio da Nasa, a agência espacial americana.

Fonte: BBC Brasil
-----------------------------------------------------------------------

Nota: Só não percebe as evidências do Dilúvio Universal descrito na Bíblia quem não quer ou está preso a paradigmas. Uma imensa quantidade de água presa no manto da Terra no passado e resquícios menores encontrados hoje (os prováveis bolsões de água subterrânea descritos como oceanos submersos, na notícia) corroboram com a teoria criacionista das hidroplacas, proposta sabiamente pelos doutores estadunidense Walter Brown e Robert Gentry, em contrafação à teoria das placas tectônicas . O "mito" bíblico, se analisado sem preconceitos paradigmáticos, pode dar as respostas que os cientistas convencionais vêm quebrando a cabeça para resolver.

É água mais que o suficiente para explicar a inundação da Terra até mesmo acima das mais altas montanhas daquele período. Conforme o relato:

"Prevaleceram as águas excessivamente sobre a terra e cobriram todos os altos montes que havia debaixo do céu. Quinze côvados acima deles prevaleceram as águas; e os montes foram cobertos. (Gênesis 7: 19 e 20)

Leia também: Os Oceanos Submersos da Terra

Fifa quer proibir manifestações religiosas na próxima Copa do Mundo

Zero Hora On Line, 20.09.2009 - 9h 56min

A Fifa estuda proibir manifestações religiosas de jogadores na Copa de 2010. Na decisão da Copa das Confederações, a Seleção Brasileira, liderada por Kaká, rezou após vencer os Estados Unidos. A atitude dos atletas provocou reclamação do presidente da Federação da Dinamarca, Jim Stjerne Hansen, que disse que a religião não tem lugar no futebol. Diante do fato, o presidente da entidade máxima do futebol, Joseph Blatter, advertiu o Brasil. As informações são do jornal AS.

A ideia de banir a religião dos estádios recebeu críticas do Vaticano. Eddio Constantini, presidente da Fundação João Paulo II, declarou que é um erro esvaziar o futebol dos valores da fé.

– Espero que reconsiderem. Só uma revolução capaz de formar homens e atletas poderá restituir ao esporte o significado autêntico que a violência, o doping, o racismo e o dinheiro ameaçam tirar-lhe – afirmou.

A Fifa também espera proibir mensagens religiosas em camisas. A medida afetará a todas as religiões - os jogadores muçulmanos também não poderão rezar nos estádios da África do Sul.

Nota do blog Realidade em Foco: Como se o problema do futebol fossem as manifestações religiosas. É o tipo de medida para agradar os céticos e os ateus de plantão que não toleram a crença das pessoas. O fato de jogadores terem ligações religiosas não torna o futebol profissional mais corrupto, as transmissões menos interessantes para as emissoras de TV comerciais e nem melhoram a religião também. É simplesmente a exteriorização do que as pessoas pensam. O que a Fifa e confederações de futebol dos países deveriam fazer era se preocupar com a violência crescente em muitos estádios e com a corrupção na administração de muitos clubes.

A Bíblia tem uma recomendação muito importante para quem é cristão de não se envolver com ambientes em que atitudes que desonram a Deus são praticadas livremente como em muitos estádios. Muitos levam a família para um local como esse, porém é fundamental cuidado. Em Efésios 5:11, há um texto interessante que diz "e não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as".

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Algo que os darwinistas deveriam aprender com Darwin


Lê-se na placa, aos pés da estátua em homenagem a Charles Darwin:

Freedom of thought is best promoted by the gradual illumination of men’s minds, which follows from the advance of science.” Charles Robert Darwin (1809-1882)

"A liberdade de pensamento é melhor promovida pela iluminação gradual das mentes dos homens, que deriva do avanço da ciência".

Esta é a linha de pensamento de uma série de respostas aos diversos comentários (bem-vindos) anexos à postagem "Combatendo o bom combate na universidade", escrito por mim, mês passado. Nos comentários, alguns me entenderam mal, pensando que sou um extremista radical que não tolera a opinião alheia, tentando impor minha própria opinião, assim como fui taxado de "mente estreita", "xiita" e outras coisas mais que alguns amam nomenclaturar cristãos que testemunham de Jesus, clara e firmemente, sem ter vergonha do que vão pensar.

Não estou sendo anti-ético com o professor, publicando o que ocorreu em sala de aula, porque se ele é desse jeito mesmo, como todos em classe observaram, o que esconder? Quero deixar claro mais uma vez que não desrespeitei a autoridade do professor, mas como feriu meus princípios, e a universidade é um local democrático (ou pelo menos deveria ser), diplomaticamente apenas tentei mostrar "o outro lado da moeda" para todos. Acredite em mim quem quiser, creia nas ideias do professor quem quiser. Isso é o progresso da ciência, presumo. Engraçado é observar que quando um ateu ou cristão relaxado expõem seus pensamentos em ambiente universitário quase ninguém reclama... Seria cômico se não fosse trágico.

E outra, se eu me calar diante de um ataque tão direto à verdade, mesmo sendo em um ambiente universitário, as pedras falarão em meu lugar, pois o evangelho do Reino vai ser semeado em toda a Terra, quer queiram ou não e "só precisam de médico os doentes".

Peço desculpas pelos erros ortográficos que estavam contidos naquela postagem. Esclarecerei outros supostos erros comentados por alguns.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Origem das Espécies, de Darwin, no lugar onde merece estar

Em alguma livraria nos Estados Unidos, o Origem das Espécies, de Darwin, foi colocado na seção onde merece estar: FICÇÃO!

Nota: Extraído do blog do Enésio Filho.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Gênesis é um relato literal?

Por Leandro Quadros*

Gostaria que você comentasse sobre o texto de Reinaldo José Lopes, publicado no site Globo.com, no dia 16 de maio de 2009. - L.

1. Jesus confirmou a historicidade do Gênesis ao citá-lo como sendo um livro literal. E jamais entendeu que houvesse "dois relatos da criação". Ao dizer que o ser humano foi criado, nem passou pela mente do Salvador a ideia absurda de que pudessem existir contradições na Bíblia. Veja o texto a seguir: "Então, respondeu Ele: Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne? De modo que já não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem" (Mateus 19:4-6).

Duvido que Lopes saiba mais sobre a Bíblia - e a cultura hebraica - do que o próprio Jesus Cristo...

2. Pedro também reconheceu a literalidade do Gênesis ao fazer menção ao Dilúvio: "...os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água" (1 Pedro 3:20).

3. Paulo - homem de grande cultura acadêmica para os dias dele - também acreditava que o Gênesis era literal ao mencionar Adão e citar Gênesis 2:7: "Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão, porém, é espírito vivificante" (1 Coríntios 15:45).

4. Gênesis faz parte do Pentateuco - coleção de cinco livros históricos. Ambos apresentam narrativas de fatos que realmente aconteceram e jamais o autor (Moisés) quis dar ao que escreveu qualquer tom de "poesia" associada a "simbolismo".

5. O fato de o Criador ser mencionado como "Deus" no capítulo 1 e "Senhor Deus" no capítulo 2 não apresenta problema algum na mente de quem estuda a Bíblia com sinceridade. Por que Deus não poderia ser chamado de maneira diferente, sendo que Ele possui vários nomes na Bíblia que descrevem o caráter dEle? Argumento muito simplista o do autor do artigo!

6. O verso 4 do capítulo 2 é a conclusão do relato do capítulo 1! Será que Reinaldo José Lopes não sabe que a divisão da Bíblia em capítulos e versículos veio posteriormente e que o fato de uma frase estar noutro capítulo não indica necessariamente o começo de um novo relato?

7. Segundo o Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, "de maneira alguma se pode considerar que o capítulo 2 seja outra versão do relato da Criação, do capítulo precedente. Seu propósito é colocar Adão e Eva em seu lugar no jardim do Éden, e isso é feito para proporcionar [ao leitor] informação adicional". É por isso que não há no capítulo 1 a informação de que a mulher foi feita da costela de Adão.

8. A respeito do verso 5 - pelo qual o autor do artigo julga apresentar uma "prova" de que o relato é contraditório - afirma o comentário supracitado: "Os versos 4-6 antecipam a criação do homem descrita no verso 7, ao detalhar brevemente a aparência da superfície da terra, particularmente com respeito à vegetação, pouco antes de o ser humano ter sido formado no sexto dia da semana da criação." O articulista deveria usar comentários bíblicos fiéis no estudo da Bíblia para não escrever coisas que não têm apoio algum com base nas regras da hermenêutica.

9. O uso do verbo plural "façamos", em Gênesis 1:26, não é um diálogo entre Deus e Seus "conselheiros angélicos" porque os anjos não têm a prerrogativa de serem criadores (cf. Hebreus 1:14). A Bíblia apresenta a Deus como único Criador (Malaquias 2:10). O verbo no plural nos ajuda a entender o porquê de o nome Deus no primeiro versículo ser usado em forma plural (Elohim): a Trindade estava envolvida na Criação - ver João 1:1-3, Jó 33:4 e Salmo 104:30 (o tal "plural majestático", sim, é uma lenda! Se Lopes prefere acreditar nisso...).

0. A declaração a seguir do articulista também é de pasmar: "O mandamento de guardar o sábado, na maioria dos textos bíblicos, como em Deuteronômio 5, 12-15, não usa a Criação como justificativa, o que parece indicar que a ideia foi introduzida de forma tardia na cultura israelita."

Isso não tem cabimento. Antes de a Lei ser dada no Sinai, o povo já sabia que o sábado deveria ser celebrado como memorial da Criação. Basta ler o episódio do maná em Êxodo 16. Em Deuteronômio 5:12-15, Deus apresenta apenas uma razão adicional para eles observarem o sétimo dia: por terem sido escravos no Egito, deveriam descansar e dar descanso a qualquer pessoa que estivesse sobre a jurisdição deles.

Em Deuteronômio 5:12-15, há também uma aplicação teológica vital para os cristãos de hoje: assim como o povo Israelita observou o sábado também por ter sido liberto da escravidão do Egito, hoje devemos celebrar o sábado também por Deus nos ter libertado da escravidão do pecado por meio de Jesus Cristo (João 8:36).

11. Portanto, a frase "se correr o bicho pega, se ficar o bicho come" se aplica a Lopes, pois ele tem duas opções: aceitar o que Deus ensina sobre a Criação dEle ou ficar ao lado de Charles Darwin.

E, para finalizar: todo criacionista esclarecido jamais nega a importância da ciência e da explicação evolucionista a respeito da microevolução. O que não aceitamos - assim como os Pais da Ciência e muitos cientistas atuais - é a macroevolução, que jamais foi vista em laboratório...
+++++

*Leandro Quadros é formado pela Universidade do Vale do Paraíba (Univap) e atua como jornalista na Rede Novo Tempo de Comunicação de TV e Rádio, que pertence à Igreja Adventista do Sétimo Dia. Além de apresentador de programa de rádio, é repórter e redator. Pós-graduando em Jornalismo Científico, mantém o blog http://blog.leandroquadros.com Contato: leandro.quadros@novotempo.org.br

Fonte: Outra Leitura

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Galáxias distantes colocam em discussão evolução do Cosmos

Galáxias situadas a mais de 10 bilhões de anos-luz da Terra, extremamente densas e compactas, colocam em questão o modelo de evolução do Universo, segundo estudo publicado nesta quarta-feira pela revista Nature. Este modelo determina que as galáxias maiores nasceram da fusão de estrelas de tamanhos menores ou da absorção de pequenas galáxias por galáxias gigantes.

Esta teoria foi questionada pela descoberta de uma galáxia considerada descendente das grandes galáxias elípticas relativamente próximas, e que, apesar de pequena, é também maciça e, portanto, muito densa. Esta descoberta surpreendeu os astrônomos porque leva a pensar que as galáxias cresceram em tamanho sem absorver estrelas.

É como descobrir, de repente, que o Londinium romain tinha a mesma população que a Grande Londres atual", comentou o astrofísico Karl Glazebrook. Os autores do estudo, três cientistas das Universidades de Yale, Princeton (Estados Unidos) e Leiden (Holanda), observaram durante 29 horas esta curiosa galáxia batizada 1255-0, graças ao espectógrafo GNIRS trabalhando próximo ao infravermelho do telescópio Gemini South.

Devido à defasagem em relação ao vermelho de seu espectro luminoso, eles calcularam que ela estava afastada da Terra 10,7 bilhões de anos-luz, ou seja, sua luz que vemos hoje foi emitida quando o universo tinha apenas 3 bilhões de anos. Apesar de seu sinal muito fraco, eles consideram também medir a velocidade média da rotação das estrelas em torno do centro da galáxia. Como esta velocidade é muita elevada, eles deduziram que ela era quatro vezes mais compacta que a Via Láctea ( nossa galáxia, que é uma galáxia espiral), mas seis vezes menor.

Como a das outras galáxias, a evolução das galáxias elípticas deve obedecer a regras, mas elas ainda precisam ser descobertas, segundo Glazebrook, que previu que algumas galáxias parecidas com a 1255-0 vão ser descobertas nos próximos anos, permitindo talvez a elaboração de um novo modelo.

Fonte: Agência AFP, por meio do site Terra
--------------------------------------------------------------------

Nota: Muito bom saber que a ciência cosmológica está pondo em questão até mesmo suas teorias mais aceitas. Espero que cheguem cada vez mais à conclusão de que o universo é obra das mãos do Criador, pelas evidências de design inteligente que estão sendo descobertas paulatinamente, verdadeiras digitais do Criador, tais como a organização em que o cosmos está disposto.

A Expansão do Universo

Em 1913 Melvin Slipher, um astrônomo americano, anunciou que um estudo feito em cerca de doze nebulosas mostrava que a maioria delas estava se afastando da Terra em velocidades de milhões de quilômetros por hora. Slipher foi um dos primeiros pesquisadores a usar o efeito Doppler para medir sistematicamente as velocidades de grandes objetos celestiais. Edwin Hubble observou esta mudança da cor do espectro das galáxias. A esta mudança foi dada a interpretação de que o universo estaria em expansão. As galáxias ao se distanciarem ou ao se aproximarem da nossa galáxia teriam a sua “cor” alterada. Esta mudança é observada através das alterações das linhas do espectro de elementos como o sódio, o potássio e o hidrogênio. Isto funciona de maneira análoga ao som da sirene de uma ambulância. Quando a ambulância está se aproximando, o som é mais agudo. Depois que ela passa, o som fica mais grave. Para uma pessoa dentro da ambulância o som não teria mudado.

Essa interpretação do desvio espectrográfico tem enfrentado dificuldades relacionadas com outras observações:

1. Galáxias interconectadas possuem desvios espectrográficos diferentes.¹Isto significa que galáxias que estão interconectadas possuem velocidades diferentes.

2. Desvios que se agrupam em valores específicos. Esses valores são indicados pelo símbolo z. Por exemplo, para um desvio (redshift) de z=1, temos a indicação de que o comprimento da onda dobrou desde a sua emissão até chegar ao observador. Os valores de z que as galáxias tendem a assumir são 0,06; 0,3; 0,6; 0,9; 1,4 e 1,96. Isto traz consigo duas importantes conclusões: (1) que as galáxia possuem velocidades preferidas, o que em se tratando de galáxias, isto não faz sentido, e (2) esta recessão implica que a Terra está numa posição única. Uma posição que não fosse única poderia explicar a recessão observada, mas os valores de z apareceriam de forma contínua e não em intervalos distintos como observados. Isto implica diretamente que nossa galáxia estava no centro ou muito perto do centro do universo.²

3. O desvio para o vermelho [ilustrado na figura abaixo, à direita] implica também numa diminuição da freqüência. Sendo que a energia da luz é proporcional à sua freqüência, isto pode implicar numa perda de energia. Até o momento, a Teoria do Big Bang não oferece explicações para esta possível perda de energia

É importante salientar aqui que existem outras explicações para o fenômeno do desvio espectrog ráfico da luz para o vermelho as quais são de grande importância e relevância. Todas elas têm um sólido embasamento científico e oferecem respostas igualmente compatíveis com a evidência. Apenas algumas delas estão relacionadas abaixo.

O astrônomo Fritz Zwicky em 1929 já havia proposto que o desvio para o vermelho seria causado pela perda de energia da luz ao viajar pelo espaço. Esta proposta ficou conhecida como a “teoria da luz cansada”. Esta teoria continua sendo estudada e pesquisada ainda hoje, por ser uma forte alternativa.4

Uma outra cosmologia estática proposta por I. E. Segal, apresenta o desvio para o vermelho diretamente proporcional à curvatura do espaço.5

V. S. Troitskii, desenvolveu um modelo cosmológico no qual ele interpretou o desvio para o vermelho como conseqüência da diminuição da velocidade da luz.6

Todas estas proposta mostram que a interpretação de um universo em expansão não é a única interpretação científica para o fenômeno do desvio espectrográfico da luz. Mais sobre isto será tratado adiante.

Também é importante notar que a visão moderna não é a expansão de objetos no espaço, mas sim a expansão do próprio espaço, o que faz com que os objetos sejam “carregados” por esta expansão. Seria como o desenho numa bexiga que aumenta a medida que a bexiga é inflada.

Esta idéia de uma expansão súbida foi necessária para que a teoria do big bang pudesse ser adaptada a observação. Foi uma solução ad hoc. A proposta foi feita por Alan Guth. Nesta proposta o universo teria passado por um período de rápido crescimeneto (período inflacionário) num curtíssimo espaço de tempo. Em outras palavras, ele teria expandido por um fator de 1025 em apenas 10-35 segundo. Isto seria como transformar uma ervilha numa galáxia como a nossa (100.000 anos-luz de diâmetro) em 0,00000000000000000000000000000000001 segundo!

Referências

1 Arp, Halton M. , Seeing Red, Montreal: Apeiron, 1998. Vert ambém do mesmo autor Quasars, Redshifts, and Controversies, Berkeley, CA: Interstellar Media, 1987.
2 Tifft, William G., “Global Redshift Periodicities and Periodicity Variability”, Astrophysical Journal, 485:465-483 (1997). Ver também do mesmo autor “Properties of the Redshifht”, The Astrophysical Journal, Vol 382, December 1991, p. 396-415. Ver também, Tifft, William G., “Redshift Quantization in the Cosmic Background Rest Frame”, Journal of Astrophysics and Astronomy, 18(4):415-433 (1977).
3 Peebles, P.J.E., Principles of Physical Cosmology, Princeton: The University Press, 1993, p.138.
4 Gosh, A., “Velocity-dependent Inertial Induction: a Possible Tired-Light Mechanism”, Apeiron, 1991, 9-10, p. 35-44.
5 Segal, I. E. e Z. Zhou, “Maxwell’s Equations in the Einstein Universe and Chronometric Cosmology”, Astrophysical Journal Supplement, 1995, 100, p. 307.
6 Troitskii, V. S., “Physical Constants and Evolution of the Universe”, Astrophysics and Space Science, 1987, 139, p. 389-411. Sobre a velocidade da luz ter sido maior no passado, ver também S. Adams, “The Speed of Light”, Inside Science 147:4, New Scientist 173(2326) (January 19, 2002).

Este artigo está baseado numa parte do Capítulo 3 “A Origem do Universo: Astronomia e Cosmologia” do livro “Como Tudo Começou – Uma Introdução ao Criacionismo”


Fonte: Universo Criacionista

José Alencar dá bom exemplo após receber alta

Ontem (04/08/09), assisti à entrevista exclusiva que o vice-presidente do Brasil, José Alencar, deu ao repórter da Rede Globo, José Roberto Burnier, antes de embarcar para os Estados Unidos para fazer novos exames e se tratar de problemas de saúde. Gostei da feliz declaração que o "Zé", como diz o Lula, fez ao responder a uma pergunta do repórter.

Burnier perguntou a Alencar qual é a força que o faz lutar contra o câncer durante os últimos 12 anos e manter o bom humor, mesmo assim. Alencar respondeu sabiamente que a força é a fé que tem em Deus e que "seja feita a vontade de Deus em qualquer circunstância". Disse que o amor que ele (Alencar) tem à sua própria vida também o faz continuar resistindo a esta terrível doença. Disse ainda que, modéstia parte, tem consciência de sua importância para o País, uma vez que ocupa a vice-presidência da República, assim como sua importância para sua família.

Esta sim foi uma declaração louvável e merecedora de toda a estima dos brasileiros. Um estadista testemunhando de sua fé no Criador, Mantenedor, Salvador e futuro Restaurador da vida, o Senhor Deus do universo. Creio que Deus ficou muito feliz com Alencar, pois milhões de brasileiros e até mesmo estrangeiros puderam ver e escutar da boca de um dos mais importantes líderes políticos do mundo a confissão de que até mesmo eles precisam do cuidado protetor de Deus, apesar de seu dinheiro e poder. Que isso sirva de reflexão para muitos darwinistas ateus que tem a ciência (com todas as suas limitações) como religião, ao meu ver.

Peço a Deus que cure José Alencar, conforme Sua vontade, e este venha a louvar o nome do Senhor ainda mais.

Semana passada, fiz uma crítica a uma outra declaração que José Alencar fez quando saía do hospital (voltando para a sala de cirurgia pouco tempo depois, após voltar a passar mal, infelizmente), pois envolveu princípios bíblicos de saúde. Confira aqui.

Leia mais sobre a boa entrevista que José Alencar deu ao Jornal Nacional no G1 Notícia.

André Luiz Marques

É preciso humanizar o humanismo dos ateus

Por Heron Santana

Cheguei agora há pouco do interior da Bahia, depois de entrevistar funcionários e residentes do Casa Lar e do Pró-Vida. O Casa Lar é um projeto incrível de assistência a populações urbanas marginalizadas. Pessoas com transtornos mentais leves são enviadas para uma residência, e lá têm acesso a educação, atendimento médico, nutricional, terapêutico, além de aulas de música, fisioterapia e artes. O objetivo é um só: cuidar de pessoas que em muitos casos estão abandonadas até mesmo pela família, ajudando-as a desenvolver suas faculdades mentais. O primeiro abrigo é localizado em Cachoeira, interior da Bahia. Já existe um outro, em Simões Filho, na Grande Salvador, graças ao apoio do Governo do Estado, que acredita na proposta.

Outro projeto é o Pró-Vida. Cuida de pessoas com histórico de dependência química. Conheci Carlos, que chegou ao Pró-Vida em busca de apoio para se livrar das drogas. Estavam afetando seu relacionamento com a família e seu próprio crescimento. Tempos depois de chegar à unidade de tratamento, Carlos se mostra outra pessoa. Trabalha como monitor no Casa Lar e vai casar por esses dias.

Esses projetos são coordenados pela Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra). É uma agência humanitária cristã. Tem cadeira consultiva na ONU. Faz parte de uma rede mundial de instituições cristãs que trabalha para o desenvolvimento humano, como a Cruz Vermelha, a Visão Mundial, e tantas outras.

É fascinante perceber a importância da religião para a transformação da vida humana. É incrível saber que a civilização, tal qual a conhecemos, deve, e muito, aos padrões éticos oferecidos pela religião. E é intrigante ver campanhas orquestradas contra Deus e a religião ganhando força e espaços na mídia. Desde busdoor até colunistas com discursos inflamados contra qualquer manifestação religiosa.

Para essa histeria ateia, a religião que promove uma teia humanitária global é um mal a ser combatido. As razões: torna o homem dependente de uma força externa, enfraquece o posicionamento pelas liberdades individuais, fortalece atitudes extremistas e alimenta o fanatismo.

É um lado da moeda. É unilateral, portanto. Merece tanto crédito quanto condenar genocídios de regimes comunistas ateus e omitir as vítimas de regimes que tinham discurso cristão. O que os neohumanistas parecem esquecer é que em vários países na África, neste momento, há um voluntariado religioso exercendo o amor ao próximo, lutando para minimizar problemas seculares do continente. Esquecem do semi-árido nordestino, onde não são ursos polares que sofrem os efeitos do aquecimento global. Meu respeito aos ursos polares, mas as maiores vítimas do efeito estufa são pessoas como os sertanejos pobres do semi-árido. A Adra está lá, com um projeto decente de agricultura familiar, propiciando geração de renda, segurança alimentar e sustentabilidade ambiental.

Não sei se os novos ateus já visitaram Darfur, Chade, Somália, Ruanda, Haiti. Ou mesmo o semi-árido do Nordeste do Brasil. Faria bem irem lá. Ajudaria a redimensionar uma retórica humanista que desconsidera totalmente o humanismo religioso capaz de salvar, todos os dias, milhões de vidas ao redor do mundo.

Fonte: Outra Leitura

Nota: Heron Santana é formado em Jornalismo pela Unicap e atualmente é assessor de Comunicação Institucional da Igreja Adventista para a região Nordeste do Brasil.

Pandemia de Lucro (gripe suína)

O texto abaixo corrobora a reportagem de Veja desta semana, edição de 29/07/2009, onde informa que as vítimas fatais da gripe A1N1 foram 33 pessoas no Brasil (hoje este número é bem maior) e que em igual período no ano passado as vítimas fatais de gripes comuns foram 4500. Portanto, a gripe comum é muito mais letal. Realmente existem interesses maiores por trás.

Pandemia de Lucro

Que interesses econômicos se movem por detrás da gripe suína???

No mundo, a cada ano morrem milhões de pessoas vítimas da Malária que sepodia prevenir com um simples mosquiteiro. Os noticiários, disto nada falam!

No mundo, por ano morrem 2 milhões de crianças com diarréia que se poderiaevitar com um simples soro que custa R$ 0,25. Os noticiários disto nada falam!

Sarampo, pneumonia e enfermidades curáveis com vacinas baratas, provocam amorte de 10 milhões de pessoas a cada ano. Os noticiários disto nada falam!

Mas há cerca de 10 anos, quando apareceu a famosa gripe das aves... os noticiários mundiais inundaram-se de noticias... Uma epidemia, a mais perigosa de todas... Uma Pandemia! Só se falava da terrífica enfermidade das aves.

Não obstante, a gripe das aves apenas [em se comparando com a gripe comum, não que 250 ou mesmo uma única morte não seja lamentável] causou a morte de 250 pessoas, em 10anos...25 mortos por ano.A gripe comum, mata por ano meio milhão de pessoas no mundo. Meio milhãocontra 25.

Um momento, um momento... então, porque se armou tanto escândalo com agripe das aves? Porque atrás desses frangos havia um "galo", um galo de crista grande. A farmacêutica transnacional Roche com o seu famoso Tamiflú vendeu milhões de doses aos países asiáticos.

Ainda que o Tamiflú seja de duvidosa eficácia, o governo britânico comprou 14 milhões de doses para prevenir a sua população. Com a gripe das aves, a Roche e a Relenza, as duas maiores empresas farmacêuticas que vendem os antivirais, obtiveram milhões de dólares delucro.

Antes com os frangos e agora com os porcos. Sim, agora começou a psicose da gripe suína. E todos os noticiários domundo só falam disso... Já não se fala da crise econômica nem dos torturados em Guantánamo... Só a gripe suína, a gripe dos porcos... E eu pergunto-me: se atrás dos frangos havia um "galo"... atrás dos porcos... não haverá um "grande porco"?

A empresa norte-americana Gilead Sciences tem a patente do Tamiflú. O principal acionista desta empresa é nada menos que um personagem sinistro, Donald Rumsfeld, secretário da defesa de George Bush, artífice da guerra contra Iraque....

Os acionistas das farmacêuticas Roche e Relenza estão esfregando as mãos,estão felizes pelas suas vendas novamente milionárias com o duvidoso Tamiflú. A verdadeira pandemia é de lucro, os enormes lucros destes mercenários da saúde.

Não nego as necessárias medidas de precaução que estão a ser tomadas pelos países, mas se a gripe suína é uma pandemia tão terrível como anunciam os meios de comunicação...

Se a Organização Mundial de Saúde se preocupa tanto com esta enfermidade, porque não a declara como um problema de saúde pública mundial e autoriza o fabrico de medicamentos genéricos para combatê-la?

Prescindir das patentes da Roche e Relenza e distribuir medicamentosgenéricos gratuitos a todos os países, especialmente os pobres. Essa seriaa melhor solução.

Colaboração: Hugo Ícaro de Paula, ancião da Igreja Adventista do Sétimo Dia / Vila Sete / Maringá / PR.


terça-feira, 4 de agosto de 2009

Portal da Educação Adventista entrevista o ex-astronauta Marcos Pontes, em Maringá / PR


03/08/2009 - Por Olivandro Maia

Neste ano em que a humanidade comemora 40 anos da conquista da Lua, o Portal da Educação Adventista teve a oportunidade de entrevistar o cosmonauta Marcos Cesar Pontes. Na sua passagem por Maringá, no dia 29 de julho, para ministrar uma palestra a políticos e empresários, o primeiro brasileiro a ir numa missão ao espaço relatou a sua experiência que ficou registrada na história.

De origem humilde, Pontes nasceu em Bauru, SP em 11 de março de 1963. Sua história de vida é fonte de inspiração para os jovens, pois mostra que nada é fruto do acaso e sim do esforço, estudo e determinação. Marcos começou a trabalhar ainda cedo, aos 14 anos para ajudar no orçamento de casa e para pagar os estudos. Ele trabalhava como eletricista aprendiz na Rede Ferroviária Federal, embora seu maior sonho fosse ser piloto de avião. Todos os seus colegas de trabalho na época diziam que isso era impossível, mas ele decididamente escolheu o conselho de sua mãe que dizia: “Se você tem um sonho vá em frente, lute por ele, estude bastante”, e foi isso que Marcos fez.

(...)

[Leia a entrevista na íntegra clicando aqui]
----------------------------------------------------------------------------------

Nota: Mesmo eu tendo sérias críticas sobre sua decisão de se aposentar, logo após a conclusão de sua ida ao espaço em 2006, admiro muito a carreira de Marcos Pontes. Agora vamos ver se ele retribui o grande investimento que o Brasil fez em sua formação como piloto da FAB e cosmonauta, ajudando a melhorar a educação no país. Que Deus o abençoe!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Dr. Ateu - No princípio

Já postei este vídeo há algum tempo neste blog, mas vale a pena reprisar. Ilustra de certo modo a situação que estou passando na faculdade. Um vídeo bem humorado para refletir sobre criacionismo versus darwinismo/ateísmo no ambiente acadêmico, através das perguntas impertinentes dos alunos ao professor ateu. Pena que não se fazem mais tantos alunos com um senso crítico tão bom ultimamente...

Não concordo necessariamente com tudo o que os alunos deduzem, tal como a macro evolução ter ocorrido sim, mas por um direcionamento divino.

Preste mais atenção no final do vídeo, onde o professor indaga o aluno e diz que se ele quiser um diploma em ciências nunca deve questionar Darwin. Que coisa não? Também observe o que ele diz no final do vídeo: "Ou você joga segundo as nossas regras, ou você não joga". Isso mostra bem o que ocorre na maioria das universidades hoje. Pra mim isso não é ciência, é imposição ideológica.

Related Posts with Thumbnails
Related Posts with Thumbnails
BlogBlogs.Com.Br